Sociologia

Apresentação

O Programa de Pós-graduação em Sociologia do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ) abriga os professores do antigo Programa de Mestrado e Doutorado em Sociologia do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), que migraram para a nova instituição (junho de 2010). Foram assim garantidas a integridade e a continuidade da tradição consolidada ao longo dos anos de liderança nacional em pesquisa e ensino de ciências sociais no nível de pós-graduação.

A Pós-graduação em Sociologia do IESP-UERJ foi fundada no antigo IUPERJ em 1973 e firmou-se como um programa de excelência na área. No antigo IUPERJ, assim como no atual IESP-UERJ, os programas de sociologia e ciência política sempre tiveram uma convivência estreita, de parceria intelectual e institucional. Estas características ajudaram a criar uma alternativa intelectualmente criativa no cenário da pós-graduação em ciências sociais no Brasil.

A inspiração inicial da nossa pós-graduação em sociologia implicou uma requalificação do tema democrático na arena pública, afastando as concepções que viam na democracia uma simples forma política. Decorridos mais de quarenta anos, o formato do programa de sociologia do IESP-UERJ preserva aquela inspiração, informado, de um lado, pelo tema institucional abordado pelos ângulos da sociologia política e da teoria social e, de outro, pela questão social brasileira pensada no âmbito da sociologia urbana e das desigualdades sociais. São abordagens em permanente diálogo com o legado do pensamento social e político do país, cuja ensaística foi sendo progressivamente incorporada ao seu programa de estudos e de investigação.

Coordenação

Coordenador

Mariana Cavalcanti (marianacavalcanti@iesp.uerj.br)

Secretaria de Pós-Graduação

Louise Lopes Veloso (louise@iesp.uerj.br)
Tel.: (21) 2266-8300

Linhas de pesquisa

a) Desigualdades, Mobilidade Social e Trabalho

A desigualdade econômica e social permanece sendo um dos principais problemas no Brasil. Pesquisas sobre as desigualdades são relevantes para entendermos questões tão diversas quanto o sentido e os rumos da democracia contemporânea, a dimensão humana do desenvolvimento econômico, as concepções de justiça social, as políticas públicas e as iniciativas privadas para solucionar problemas sociais mais graves, como a fome e a violência. Atualmente o debate sobre desigualdade tem girado em torno de quais seriam suas principais dimensões, quais seriam níveis socialmente justificáveis ou aceitáveis, quais seus principais determinantes, e quais as melhores formas de combatê-la. As sociologias do trabalho e da educação, bem como todas as suas ramificações, desempenham papel central neste debate.

b) Sociologia Política

As relações entre Estado e sociedade, os fundamentos e bases sociais da políticas e a prática política de agentes e grupos sociais são preocupações fundamentais desta linha de pesquisa. Com uma perspectiva multidisciplinar fortemente ancorada na sociologia, a presente área busca discutir temas clássicos, tais como a formação sociopolítica dos Estados; a relação entre grupos sociais, redes sociais e a política; a construção social das políticas públicas; o papel da opinião pública, dos movimentos sociais e de outras coletividades na política institucional; participação social; mudanças sociais; conflitos; poder e dominação; movimentos sociais em perspectiva histórica, teórica e comparada; identidades coletivas; cidadania e solidariedade; gênero e raça; e direitos sociais.

c) Sociologia Urbana

O espaço urbano é entendido não somente como lócus e contexto de práticas, relações e dinâmicas, mas também como campo próprio de discussão sobre a espacialidade da ação sociopolítica. Esta linha de pesquisa mobiliza metodologias qualitativas e quantitativas de análise social, para desvendar os mecanismos cotidianos e os aspectos estruturais da sociabilidade urbana. Dedica-se, ainda, ao estudo da reprodução da violência como elemento constitutivo da sociabilidade e das políticas públicas voltadas para o enfrentamento do problema. Abre-se, no entanto, também para outros desdobramentos, incluindo inovações nos campos da cultura e da sociabilidade; as dimensões sociais e espaciais da globalização e do transnacionalismo; e o estudo de outros países e regiões, em perspectiva comparada.

c) Teoria Social

As teorias sociais abarcam um campo que é conexo, mas ao mesmo tempo mais amplo, que o da teoria sociológica. Trata de temas que se abrem a outras disciplinas, como a filosofia, a antropologia, a linguística, a psicologia, a psicanálise, a ciência política e a economia. Nos quadros de nossa pós-graduação, o centro segue sendo principalmente a teoria sociológica e suas relações com as outras maneiras de pensar a vida social.

Mestrado

O mestrado prevê um prazo máximo de dois anos para ser completado. Durante esse período, o aluno é submetido a uma intensa formação teórica e metodológica na área de sua especialização. Os aprovados, uma vez completados 27 créditos, fazem jus ao título de especialização. Durante o quarto semestre preparam um dossiê que inclui, além do histórico escolar, uma dissertação a ser defendida perante uma banca de três professores (um externo). Os aprovados recebem o título de mestre e podem ser admitidos ao doutorado.

Doutorado

O doutorado destina-se à formação de pesquisadores e centra-se na pesquisa original e produção de teses. Tem caráter misto, ou semi-tutorial, com maior flexibilidade para o aluno e maior responsabilidade para o professor-orientador, mas ao mesmo tempo com controles institucionais sobre o fluxo dos alunos. Os créditos são cumpridos pela freqüência a disciplinas, exigindo-se também a participação em três seminários de pesquisa, sendo um de projeto e os outros dois de tese. Ao final do primeiro ano, o aluno deve defender o projeto de tese, que funciona também como um exame de qualificação para prosseguimento do doutorado. A defesa da tese deve ser feita, no máximo, até o final do oitavo semestre acadêmico.

Corpo docente

Rogério Jerônimo Barbosa
Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2017)
Palloma Valle Menezes
Doutora em Sociologia (IESP-UERJ e Vrije Universiteit Amsterdam – 2015)
Luiz Augusto Campos
Doutor em Sociologia (IESP-UERJ-2013)
João Feres Júnior
Doutor em Ciência Política (City University of New York-2003)
Adalberto Moreira Cardoso
Doutor em Sociologia (USP-1995)
Breno Marques Bringel
Doutor em Ciência Política (Universidad Complutense-2010)
Carlos Antonio Costa Ribeiro
Doutor em Sociologia (Columbia University-2002)
Fernando de Castro Fontainha
Doutor em Ciência Política (Université de Montpellier 1 -2011)
José Eduardo Leon Szwako
Doutor em Ciências Sociais (Unicamp-2012)
José Mauricio Castro Domingues
Doutor em Sociologia (University of London-1993)
Mariana Cavalcanti Rocha dos Santos
Doutora em Antropologia (University of Chicago-2007)

Seleção

Confere os processos em andamento na nossa página Seleção.