«Pandemia reduziu nível de emprego a 47% em julho», entrevista com Rogério Barbosa

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O professor do IESP e pesquisador do Centro de Estudos da Metrópole Rogério Barbosa colaborou com a matéria de José Tadeu Arantes, da Agência FAPESP. A entrevista tratou dos efeitos econômicos e sociais da pandemia de COVID-19 a partir de seu artigo The Impact of COVID-19 in Brazil: Labour Market and Social Protection Responses, publicado em parceria com Ian Prates no The Indian Journal of Labour Economic.

 

«De acordo com o pesquisador, o Auxílio Emergencial foi efetivo, apesar de erros e atropelos na logística de implantação e de fraudes no direcionamento dos recursos. ‘Ele aliviou a situação dos 30% mais pobres, que vinham perdendo renda sistematicamente desde 2014. Quando o Auxílio chegou, esses mais pobres estavam no vale da curva de renda. E tiveram certa compensação, não só das perdas provocadas pela pandemia, mas também de perdas anteriores. Porém é preciso entender que o Auxílio diminuiu os indicadores monetários da pobreza, mas não a pobreza em si, pois esta engloba muitas outras dimensões além da estritamente monetária, como, por exemplo, as condições de moradia. Com o fim do Auxílio, os mais pobres continuarão tão pobres quanto eram antes’, diz Barbosa».

 

Leia a matéria completa na página da Agência FAPESP.

Comments are closed.